Renovação de ânimo

Renovação de ânimo

O desânimo é inimigo sutil do ser humano. Instala-se a pouco e pouco, terminando por vencer as resistências morais, que se sentem desestimuladas por falta de suporte emocional para a luta.
São várias as causas do desânimo. Pode ser resultante de uma enfermidade orgânica, que gera perda de energia, por consequência, de entusiasmo pela vida.
Pode resultar de estresse decorrente de agitação ou de tensões continuadas. Também por frustrações profundas, que deixam n’alma um grande vazio.
Contudo, seja qual for a causa, o importante é não se deixar envolver pelo desânimo, desalentador e destruidor de vidas.
Se a causa é a enfermidade, o estresse ou a frustração, há que se buscar a terapia conveniente.
Por vezes, um pequeno estímulo, um alento é suficiente para se sair de um estado de desânimo para o de entusiasmo.
Um ilustre juiz contou, certa vez, um episódio que transformou toda a sua vida. Aos 16 anos de idade, viu-se obrigado a deixar a escola e a se empregar como varredor numa fábrica.
Quando veio a crise econômica da década de 1930, numa tarde cinzenta, na véspera de Natal, ele foi despedido, junto com centenas de outros empregados.
Quando saiu para a rua, ao final do turno de trabalho, foi seguindo no meio de uma fila silenciosa e sombria de operários.
Embora adolescente, ele se sentia envelhecido num mundo sem esperanças.
À sua frente, caminhava um homem magro e mal vestido. Aquele homem também fora despedido. Mas ia assobiando pelo caminho.
O rapaz se aproximou dele e perguntou:
O que você vai fazer agora?
E o desconhecido respondeu com naturalidade:
Acho que vou para a Àfrica. Lá, rapaz, as estrelas sobre o deserto são do tamanho de ameixas. Ou talvez  eu vá para o Rio de Janeiro. As luzes ali sobem sem parar da praia até o céu.
O mundo é bem grande, rapaz, e o que há nele dá de sobra para fazer qualquer homem feliz, desde que não tenha medo de ir aonde a cabeça e o coração o levarem.
Para o adolescente, aquelas palavras tiveram um grande efeito. Foi como se tivesse sido aberta uma janela na parede de uma prisão e ele pudesse ver através de milhões de quilômetros.
Foi para casa com a cabeça cheia de planos. Se aquele homem, bem mais maduro do que ele, tinha forças para tecer planos para o futuro, ele, adolescente, deveria ter muito mais.
E, pensando assim, na semana seguinte não somente conseguiu encontrar um meio de se manter, como se matriculou numa escola noturna, perseguindo o seu sonho que viria se tornar realidade: formar-se em Direito e seguir a carreira da magistratura. Ser juiz.
*   *   *
Nunca será demais insistir que a oração é arma poderosa para o combate ao desânimo. Ela favorece a canalização de energias superiores, que vertem da Divindade em direção ao indivíduo que se encontra em atitude receptiva.
Com a prece, a criatura vai sentindo momentos de bem-estar e euforia. São momentos rápidos, mas que pela constância, vão se fixando na criatura, até se tornarem habituais, preenchendo o vazio interior.
O hábito da oração sincera restitui a alegria de viver, oferecendo ao ser metas saudáveis e renovadoras, que o enriquecem de paz interior.
Redação do Momento Espírita, com base no cap. Relógio marcando dez horas, do livro
Remotos cânticos de Belém, de Wallace Leal Rodrigues, ed. O clarim e do item 
Cansaço e desânimo, do cap. A busca, do livro O despertar do Espírito, pelo 
Espírito Joanna de Angelis, psicografia de  Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 7, ed. Fep.
Em 09.10.2009.

Fonte do texto: http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=552&let=&stat=0
Fonte do video: http://www.youtube.com/watch?v=Pbj6j6mz5YQ

Uma carta de George Carlin



Uma de carta de George Carlin
O paradoxo do nosso tempo é termos edifícios mais altos e temperamentos mais reduzidos, estradas mais largas e pontos de vistas mais estreitos.
Gastamos mais, mas temos menos, Compramos mais, mas desfrutamos menos. Temos casas maiores e famílias menores, mais conforto e menos tempo. Temos mais graduações acadêmicas, mas menos sentimentos comuns, maior conhecimento, mas menor capacidade de julgamento, mais peritos, mas mais problemas, melhor medicina, mas menor bem-estar.
Bebemos demasiado, fumamos demasiado, desperdiçamos demasiado, rimos muito pouco, movemo-nos muito rápido, nos irritamos demasiado, mantemo-nos muito tempo acordados, amanhecemos cansados.
Lemos muito pouco, vemos televisão demais e rezamos raramente. Multiplicamos o nosso patrimônio, mas reduzimos os nossos valores, Falamos demasiado, amamos demasiado pouco e odiamos muito frequentemente.
Aprendemos a ganhar a vida, mas não a vivê-la. Adicionamos anos às nossas vidas, não vida aos nossos anos. Conseguimos ir à lua e voltar, mas temos dificuldade em cruzar a rua para conhecer um novo vizinho. Conquistamos o espaço exterior, mas não o interior.
Temos feito grandes coisas, mas nem por isso melhores. Limpamos o ar, mas contaminamos a nossa alma. Conquistamos o átomo, mas não os nossos preconceitos. Escrevemos mais, mas aprendemos menos.Planejamos mais, mas desfrutamos menos.
Aprendemos a apressar-nos, mas não a esperar. Produzimos computadores que podem processar maior informação e difundi-la, mas nos comunicamos cada vez menos e menos.
Estamos no tempo das comidas rápidas e digestões lentas, de homens de grande estatura e de pequeno caráter, de enormes ganhos econômicos e relações humanas superficiais.
Hoje em dia há casas mais luxuosas, porém mais lares desfeitos. São tempo de viagens rápidas, fraldas descartáveis, moral descartável, encontros de uma noite, corpos obesos e pílulas que fazem de tudo, desde alegrar e acalmar, até matar.
São tempos em que há muito na mostra e muito pouco no armazém. Tempos em que a tecnologia pode fazer-te chegar esta mensagem, e em que tu podes optar por partilhar estas reflexões ou simplesmente excluí-las.
Lembra-te de passar algum tempo com os teus entes queridos, porque eles não estarão aqui para sempre. Lembra-te de ser amável com quem agora te admira, porque essa pessoa crescerá muito rapidamente e se afastará de ti.
Lembra-te de abraçar quem está perto de ti, porque esse é o único tesouro que podes dar com o coração, sem que te custe nem um centavo.
Lembra-te de dizer “Te Amo” ao teu companheiro e aos teus seres queridos, mas sobretudo, di-lo com sinceridade.
Um beijo e um abraço podem curar uma ferida, quando se dão com toda a alma. Dedica tempo para amar e para conversar, e partilha as tuas idéias mais apreciadas. E nunca esqueças:
“A vida não se mede pelo número de vezes que respiramos, mas pelos extraordinários e importantes momentos que vivemos em plenitude.”

A Felicidade Pode Demorar (Atribuído a Veríssimo)

Às vezes as pessoas que amamos nos magoam e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.

Às vezes nos falta esperança.

Às vezes o amor nos machuca profundamente e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.

Às vezes perdemos nossa fé então descobrimos que precisamos acreditar tanto quanto precisamos respirar… é nossa razão de existir.

Às vezes estamos sem rumo mas alguém entra em nossa vida e se torna o nosso destino.

Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas e a solidão aperta nosso coração pela falta de uma única pessoa.

Às vezes a dor nos faz sofrer nos faz querer para de viver até que algo toque nosso coração algo simples como a beleza de um por-do-sol a magnitude de uma noite estrelada a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto é a força da natureza nos chamando para a vida.

Às vezes…
Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança te traíram sem qualquer piedade.

Você entende que o que para você era amizade para outros era apenas conveniência oportunismo.

Você descobre que algumas pessoas nunca disseram eu te amo e por isso nunca fizeram amor apenas transaram…

Descobre também que outras disseram eu te amo uma única vez e agora temem dizer novamente com razão mas se seu sentimento for sincero poderá ajudá-las a reconstruir um coração quebrado.

Assim ao conhecer alguém preste atenção no caminho que esta pessoa percorreu. São fatores importantes:

a) a relação com a família;
b) as condições econômicas nas quais se desenvolveu (dificuldades extremas ou facilidades excessivas formam um caráter);
c) os relacionamentos anteriores e as razões do rompimento;
d) seus sonhos ideais e objetivos.

Não deixe de acreditar no amor mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá.

Manifeste suas idéias e planos para saber se vcs combinam e certifique-se que quando estão juntos aquele abraço vale mais que qualquer palavra.

Esteja aberto a algumas alterações mas jamais abra mão de tudo pois se essa pessoa te deixar então nada irá lhe restar.

Aproveite sua família que é uma grande felicidade quando menos esperamos iniciam-se períodos díficeis em nossas vidas.

Tenha sempre em mente que Às vezes tentar salvar um relacionamento manter um grande amor pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda mais intenso do que teria sido no passado.

Pode ser difícil fazer algumas escolhas mas muitas vezes isso é necessário existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo.

Não procure querer conhecer seu futuro antes da hora nem exagere em seu sofrimento esperar é dar uma chance a vida para que ela coloque a pessoa certa em seu caminho.

A tristeza pode ser intensa mas jamais será eterna.