Astral City – A Spiritual Journey (Nosso Lar)

Astral City – a spiritual journey, based on the novel Our Home, by medium Chico Xavier.
***
Nosso Lar (Our Home aka The Astral City) is a 2010 Brazilian drama film directed by Wagner de Assis, based on the book of the same name by Francisco Cândido Xavier. It is distributed by 20th Century Fox and features a soundtrack composed by Philip Glass.
Andre Luiz, the main character of the story, is played by Renato Prieto. He shares the screen with well known actors and actresses of Brazilian television drama such as Othon Bastos, Ana Rosa and Paulo Goulart, among others. It was shot on location in Rio de Janeiro and Brasilia during the months of July, August and September of 2009 and took 9 months to complete post-production. It was released on September 3, 2010 in Brazil to great critical acclaim and more than one million viewers in its opening weekend.
The film is an adaptation of the 1944 book of the same name, said to be dictated by the spirit Andre Luiz and psychographed by Chico Xavier Brazil’s most well known and respected medium, having channeled more than 400 books, all earning were directed to charities. The book is considered a great classic of the spiritist literature. Engaging the reader from a first-person narrative, Andre Luiz delivers his impressions of the spirit world he encounters after his death.
Detailed drawings of the city “Our Home” as well as the architecture of the buildings, ministries and homes, were created by the medium Heigorina Cunha through her observations made during her alleged travels outside of the body in March 1979, led and guided by the spirit Lucius. These drawings served as inspiration to create the visual architecture of the city, that you can see in the movie. His drawings have been clarified and confirmed by Chico Xavier that this was really the spiritual city of Rio de Janeiro called “Our Home”.
Nosso Lar is rich in special effects. The majority of the movie takes place in this spiritual city, which is famous in the Spiritist movement. Many spiritists and spiritualists waited anxiously for the release of the film that recorded the second highest debut of a Brazilian film since the rebirth of Brazilian cinema in the ’90s, after Tropa de Elite 2, released one month later.
For photography and special effects, international professionals were invited, including director of photography Ueli Steiger (from 10,000 BC and The Day After Tomorrow) and special effects supervisor Lev Kolobov, the Canadian firm Intelligent Creatures (The Hunt, Babel and Watchmen)
Advertisements

Entrevista: Wagner de Assis (Diretor do Filme "Nosso Lar")


Entrevista: Wagner de Assis

Filme Nosso Lar destaca a renovação espiritual

Wagner de Assis, diretor e responsável pelo roteiro do filme Nosso Lar,
destaca a transformação do homem que acorda no mundo espiritual,
os momentos de emoção no enredo do filme e o impacto que esta
mensagem pode representar para a melhoria das nossas vidas


Reformador: Qual a principal mensagem que o filme Nosso Lar transmite?

Wagner: A história de “Nosso Lar” é muito profunda por falar de um tema que interessa a todos: a vida após a vida. Esse é o melhor ponto de encontro de todas as religiões, de todas as pessoas.Trata-se de um paradigma que permite uma mudança na vida de qualquer pessoa que começa a entender, seja pelos atributos da fé raciocinada, ou pela curiosidade simples, ou mesmo pela dor, as realidades da vida espiritual junto à vida material. O filme conta a história da transformação de um homem que acorda no mundo espiritual. Talvez essa seja a principal mensagem – a história em si. A existência de uma outra dimensão, a possibilidade de reajustes, enfim, todas as leis que imperam nessa nova dimensão. E que também são diretamente ligadas à forma de viver o hoje e o agora.

Reformador: O mundo espiritual é mostrado como ambiente de recuperação e novos planejamentos de existências?

Wagner: Exatamente como no livro – um mundo que permite que renovemos nossos sentimentos, nossos pensamentos. Um mundo que permite repensar a vida pregressa e planejar melhor a vida futura na Terra. De fato, as imagens do mundo espiritual têm ligação direta com a vida encarnada – porém sempre partindo do conceito de que o mundo espiritual é anterior ao mundo material. Daí, algumas coisas que aparecem em Nosso Lar já fazem parte do nosso cotidiano.

Reformador: Como foi o esforço para mostrar o Espírito André Luiz desde o sofrimento no Umbral até o momento de colaborador de “Nosso Lar”?

Wagner: Esse é o drama da história. Ao mostrar o Espírito André Luiz desde o Umbral, e relembrar partes de sua vida em família, estamos acompanhando suas dores, seus pensamentos, seu arrependimento, suas saudades. Isso tudo até o momento em que ele volta para rever os familiares, quando temos o momento crucial da trama. Esse ciclo de renovação pelo qual ele passa é a essência da história. É o que está na estrutura do filme.

Reformador: O filme tem alguns momentos de emoção?

Wagner: Esperamos que sim! Em todos os momentos temos testemunhos de emoção – do reencontro com a mãe passando pelo reencontro com a família. Tudo é pensado para que as lágrimas sejam sinceras. Esperamos ter conseguido!

Reformador: Qual parte do filme que mais o sensibilizou?

Wagner: Pessoalmente, fico sempre tentado a buscar na força da transformação de um homem a parte mais importante. O momento do perdão, do arrependimento. O Saulo que vira Paulo. O homem que se dobra à força do amor. Quando isso acontece no filme, gosto muito, mas não paro de me emocionar também quando o governador e os ministros estendem as mãos para os Espíritos egressos da Segunda Guerra Mundial. Aquela imagem, o encontro dos lados, que muitas vezes vimos como o encontro de dois lados opostos, é um símbolo que me toca bastante – mostra que os lados podem se abraçar e não guerrear.

Reformador: Durante a produção do filme sentiu alguma presença de natureza espiritual?

Wagner: Sempre tem, ainda mais quando o ideal está acima de tudo. Não gostaria de citar para que o assunto não fique mais importante do que a história do filme. O importante é o filme, sua trajetória, o projeto de divulgação através de projetos universais, de qualidade extrema, que alcance todos os públicos. Mas agradecemos sempre, emocionados, todos os dias, pelo apoio recebido do Alto.

Reformador: Como você se sente, agora que o filme está concluído e nas telas de cinema?

Wagner: Que o filme tem vida própria sempre. Desde o início. E esperamos que todos compreendam que investimentos altos podem e devem ser sinônimo de qualidade. Que uma história só deveria ser levada às telas quando houvesse meios para isso – caso contrário, ficaríamos devendo à história o ponto mais importante, com sua mensagem libertadora. Ela é que deve sempre ser a rainha do trabalho em cinema. A história manda. E nós vamos atrás…

Reformador: Há projetos para lançamentos de DVDs e também de distribuição do filme no Exterior?

Wagner: Sim, o DVD sai em de 2011. É bom lembrar que as cópias originais estão cheias de novidades e que comprar ou baixar na Internet “cópia pirata” é crime! Quanto ao Exterior, estamos negociando; há propostas e intenções. E uma das metas deste projeto, grande como ele é, com a proposta de falar a todos os públicos, é ser mostrado em diversos países.

Reformador: No momento pós-filme, teria alguma ideia ou recomendação com relação ao livro Nosso Lar?

Wagner: Leiam, leiam, leiam o livro! A obra de André Luiz é um guia também para o dia a dia. Um legado que ele deixou, através da dedicação e do trabalho de Chico Xavier, para o mundo. E que venham os próximos filmes!

Fonte: http://www.febnet.org.br/reformadoronline/pagina/?id=171