Evangelho no Lar

CULTO DO EVANGELHO NO LAR

ÍNDICE

Culto do Evangelho no Lar

I – O Culto Cristão no Lar
II – Jesus no Lar
III – O que é o Culto do Evangelho no Lar
IV – Procedimento
V – Roteiro para o Culto do Evangelho no Lar
VI – Observações
VII – Presença de crianças no Culto
VIII – Jesus Contigo
IX – Jesus no Lar
X – Culto individual do Evangelho
XI – A Igreja em Casa
XII – Evangelho e Tempo
XIII – Culto Cristão no Lar

”Quando se abrem as portas de um templo espírita cristão ou de um santuário doméstico,dedicado ao culto do Evangelho, uma luz divina acende-se nas trevas da ignorância humana e através dos raios benfazejos desse astro de fraternidade e conhecimento, que brilha para o bem da comunidade, os homens que dele se avizinham, ainda que não desejem, caminham,sem perceber; para a vida melhor.

Emmanuel

***

CULTO DO EVANGELHO NO LAR

“Reviver o Cristo nas relações diárias da casa, ressuscitar Jesus pela veiculação do Evangelho a quantos se abrigam nas dependências do lar, é de transcendental importância num século de tantas mudanças sociais.

Guillon Ribeiro*

***

A União das Sociedades Espíritas do Estado do Rio de Janeiro — USEERJ [atual CEERJ], visando a colaborar com a implantação do Culto do Evangelho no Lar, oferece ao estimado leitor a presente obra, com o desejo de que ela se constitua em singela diretriz, a fim de que Jesus, o Amigo Divino, esteja em todos os lares, presidindo a divulgação e a vivência dos seus sublimes ensinamentos.
Salientamos que a expressão “CULTO” aqui aparece tão somente no seu sentido de venerar, tratar com respeito, afeição, como deve ser o trato que o verdadeiro espírita tributa a todas as coisas da vida.
O Culto do Evangelho no Lar, trazendo Jesus aos nossos corações, fortalece a criatura humana para o seu relacionamento com Deus, com o próximo e consigo mesma.
Assim, conclamamos a todos os espíritas sinceros a realizar o Culto do Evangelho no Lar, como valiosa síntese, da indispensável evangelização da família, célula base da sociedade.

A Diretoria

*Psicografia do médium Júlio Cezar Grandi Ribeiro — extraída da revista “Reformador” de novembro de 1977.

O Culto Cristão no Lar

Povoara-se o firmamento de estrelas, dentro da noite prateada de luar, quando o Senhor, instalado provisoriamente em casa de Pedro, tomou os Sagrados Escritos e, como se quisesse imprimir novo rumo à conversação que se fizera improdutiva e menos edificante, falou com bondade:
— Simão, que faz o pescador quando se dirige para o mercado com os frutos de cada dia?
O apóstolo pensou alguns momentos e respondeu, hesitante:
— Mestre, naturalmente, escolhemos os peixes melhores. Ninguém compra os resíduos da pesca.
Jesus sorriu e perguntou, de novo:
— E o oleiro? Que faz para atender à tarefa a que se propõe?
— Certamente, Senhor — redargüiu o pescador, intrigado, modela o barro, imprimindo-lhe a forma que deseja.
O Amigo Celeste, de olhar compassivo e fulgurante , insistiu.
— E como procede o carpinteiro para alcançar o trabalho que pretende?
O interlocutor, muito simples, informou sem vacilar:
— Lavrará a madeira, usará a enxó e o serrote, o martelo e o formão. De outro modo, não aperfeiçoará a peça bruta.
Calou-se Jesus, por alguns instantes, e aduziu :
— Assim, também, é o lar diante do mundo. O berço doméstico é a primeira escola e o primeiro templo da alma. A casa do homem é a legítima exportadora de caracteres para a vida comum. Se o negociante seleciona a mercadoria, se o marceneiro não consegue fazer um barco sem afeiçoar a madeira aos seus propósitos, como esperar uma comunidade segura e tranqüila sem que o lar se aperfeiçoe? A paz do mundo começa sob as telhas a que nos acolhemos. Se não aprendemos a viver em paz, entre quatro paredes, como aguardar a harmonia das nações? Se não nos habituarmos a amar o irmão mais próximo, associado à nossa luta de cada dia, como respeitar o Eterno Pai que nos parece distante?
Jesus relanceou o olhar pela sala modesta, fez pequeno intervalo e continuou:
— Pedro, acendamos aqui, em torno de quantos nos procuram a assistência fraterna, uma claridade nova. A mesa de tua casa é o lar de teu pão. Nela, recebes do Senhor o alimento para cada dia. Porque não instalar, ao redor dela, a sementeira da felicidade e da paz na conservação e no pensamento? O Pai, que nos dá o trigo para o celeiro, através do solo, envia-nos a luz através do Céu. Se a claridade é a expansão dos raios que a constituem, a fartura começa no grão. Em razão disso, o Evangelho não foi iniciado sobre a multidão, mas, sim, no singelo domicílio dos pastores e dos animais.
Simão Pedro fitou no Mestre os olhos humildes e lúcidos e, como não encontrasse palavras adequadas para explicar-se, murmurou, tímido:
— Mestre, seja feito como desejas.
Então Jesus, convidando os familiares do apóstolo à palestra edificante e à meditação elevada, desenrolou os escritos da sabedoria e abriu, na Terra, o primeiro culto cristão do lar.

NEIO LÚCIO
Mensagem extraída do livro “LUZ NO LAR”, psicografada por Francisco Cândido Xavier

Jesus no Lar

“Onde quer que se encontrem duas ou três pessoas reunidas em meu nome, eu com elas estarei.”
Jesus (Mt. 18:20)

O QUE É O CULTO DO EVANGELHO NO LAR

Trata-se do estudo do Evangelho de Jesus em reunião familiar. O Culto do Evangelho no Lar, realizado no ambiente doméstico, é precioso empreendimento que traz diversos benefícios às pessoas que o praticam.
Permite ampla compreensão dos ensinamentos de Jesus e a prática destes, nos ambientes em que vivemos. Ampliando-se o conhecimento sobre o Evangelho, pode-se oferecê-lo com mais segurança a outras criaturas, colaborando-se para a implantação do Reino de Deus na Terra.
As pessoas, unidas por laços consangüíneos, compreenderão a necessidade da vivência harmoniosa e, dentro de suas possibilidades, buscarão, pouco a pouco, superar possíveis barreiras, desentendimentos e desajustes, que possam existir entre pais e filhos, cônjuges e irmãos.
Através do estudo da reencarnação, compreenderão que, aqueles com quem dividem o teto, são espíritos irmãos, cujas tarefas individuais, muitas vezes, dependerão da convivência sadia no ambiente em que vieram a renascer.
Aqueles que, desde cedo, têm suas vidas orientadas pela conduta Cristã, evitam, com mais facilidade, que os embriões dos defeitos que estão latentes em seus espíritos apareçam, sanando, desta forma, o mal antes que ele cresça.
Se, porventura, tendências negativas aflorarem, apesar da orientação desde a infância, encontrarão seguros elementos morais para superá-las, porque os ensinamentos de Jesus tornam-se fortes alicerces para a sua superação.
Com o estudo do Evangelho de Jesus aprende-se a compreender e a conviver na família humana.
Assim, conscientes de que são espíritos devedores perante as Leis Universais, procuram conduzir-se dentro de atitudes exemplares, amando e perdoando, suportando e compreendendo os revezes da vida.
Quando o Culto do Evangelho no Lar é praticado fielmente à data e ao horário semanal estabelecidos, atrai-se para o convívio doméstico Espíritos Superiores, que orientam e amparam, estimulam e protegem a todos.
A presença de Espíritos iluminados no Lar afasta aqueles de índole inferior, que desejam a desunião e a discórdia. O ambiente torna-se posto avançado da Luz, onde almas dedicadas ao Bem estarão sempre presentes, quer encarnadas, quer desencarnadas.
As pessoas habituadas à oração, ao estudo e à vivência cristã tomam-se mais sensíveis e passíveis às inspirações dos Espíritos Mentores.

Procedimentos

Escolhe-se um dia da semana e hora em que seja possível a presença de todos os familiares ou da maior parte deles, observando-se com rigor a sua constância e pontualidade, para facilitar a assistência espiritual.
A direção do Culto do Evangelho no Lar caberá a um dos cônjuges ou a pessoa que disponha de maiores conhecimentos doutrinários. Cabe lembrar, no entanto, que por se tratar de um estudo em grupo não é necessária a presença de pessoas com cultura doutrinária. Na pureza dos ideais e na sinceridade das intenções, todos aprenderão juntos, auxiliando-se mutuamente.
É importante que os temas sejam discutidos com a participação de todos, na medida do possível, sem imposições, para evitar-se constrangimentos.
Deve-se buscar um ambiente amistoso, de respeito, pois, viver e falar com Jesus é uma felicidade que não se deve desprezar.
Antes do início da reunião, prepara-se o local, colocando-se em cima da mesa água pura, em uma garrafa, para ser beneficiada pelos Benfeitores Espirituais, em nome de Jesus.

ROTEIRO PARA O CULTO DO EVANGELHO NO LAR

1. LEITURA DE UMA MENSAGEM
2. PRECE INICIAL
3. ESTUDO DO EVANGELHO DE JESUS
4. PRECE DE AGRADECIMENTO

1. — Leitura de uma mensagem — A leitura inicial de uma mensagem poderá, após, ser comentada ou não. Ela tem por objetivo propiciar um equilíbrio emocional, procurando harmonizá-lo com os ideais nobres da vida, a fim de facilitar melhor aproveitamento das lições.

Poderemos lembrar obras como “Pão Nosso”, “Fonte Viva”, “Vinha de Luz”, “Caminho, Verdade e Vida”, “Palavras de Vida Eterna”, “Ementário Espírita”, “Glossário Espírita Cristão”.

2. — Prece Inicial — “Dando curso ao salutar programa iniciado por Jesus, o de reunir-se com os discípulos para os elevados cometimentos da comunhão com Deus, mediante o exercício da conversação edificante e da prece renovadora, os espiritistas devem reunir-se com regularidade e freqüência para reviver, na prece e na ação nobilitante , o culto da fraternidade, em que se sustentem quando as forças físicas e morais estejam em deperecimento , para louvar e render graças ao Senhor por todas as suas concessões, para suplicar mercês e socorros para si mesmos quanto para o próximo, esteja este no círculo da afetividade doméstica e da consangüinidade, se encontre nas provações redentoras ou se alongue pelas trilhas da imensa família universal.”
Após a leitura da mensagem, inicia-se o Culto do Evangelho no lar, com urna prece. A oração deve ser proferida por um dos participantes, em tom de voz audível a todos os presentes e de forma simples e espontânea, não devendo ser, portanto, decorada. Os demais, acompanham-no, seguindo a rogativa , frase por frase, repetindo, mentalmente, em silêncio, cada expressão, a fim de imprimir o máximo ritmo e harmonia ao verbo, ao som e a idéia, numa só vibração.
Na prece pode pedir-se o amparo de Deus para o lar onde o Evangelho está sendo estudado, para os presentes, seus parentes e amigos; para os enfermos, do corpo e da alma; para a paz na Terra; para os trabalhadores do Bem e etc.
A prece, além de ligar o ser humano à espiritualidade, traduz respeito pelo momento de estudo a realizar-se.

3. — Estudo do Evangelho de Jesus — O estudo do Evangelho do Cristo, à luz da Doutrina Espírita — “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, de Allan Kardec — poderá ser estudado de duas formas:

a) — estudo em seqüência — o estudo metódico, em pequenas partes, permite o conhecimento gradual e ordenado dos ensinamentos que o livro encerra. Após o seu término, volta-se, novamente, ao capítulo inicial;
b) — estudo ao acaso — consiste na abertura, ao acaso, de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, o que ensejará, também, lições oportunas, em qualquer ocasião.

Os comentários devem envolver o trecho lido, buscando-se alcançar a essência dos ensinamentos de Jesus, realçando-se a necessidade da sua aplicação na vida diária.
Pode reservar-se, posteriormente, um momento de palavra livre, onde os participantes da reunião exponham situações da vida prática, para o melhor entendimento e fixação das lições.

4. — Prece de agradecimento — Um dos presentes fará uma prece, agradecendo as bênçãos recebidas no Culto do Evangelho no Lar, pela paz, pelas lições recebidas etc.

OBSERVAÇÕES

A duração do Culto do Evangelho no Lar deve ser de até 1 (uma) hora, mais ou menos.
No Culto do Evangelho no Lar devem ser evitadas manifestações mediúnicas. A sua finalidade básica é o estudo do Evangelho de Jesus, para o aprendizado Cristão, a fim de que seus participantes melhor se conduzam na jornada terrena. Os casos de mediunidade indisciplinada devem ser encaminhados a uma sociedade espírita idônea.
Deve-se evitar comparações ou comentários que desmereçam pessoas ou religiões. No Evangelho busca-se a aquisição de valores maiores, tais como a benevolência e a caridade, a compreensão e a humildade, não cabendo, dessa forma, qualquer conversação menos edificante.
A realização do Culto do Evangelho no Lar não deve ser suspensa em virtude de visitas inesperadas. Deverá ser esclarecido o assunto com delicadeza e franqueza, convidando-se o visitante a participar do Culto, caso lhe aprouver .
O Culto do Evangelho no Lar não deve ser prejudicado, também, em virtude de solicitações sem urgência, recados inoportunos, passeios, festividades de qualquer ordem. Soluções razoáveis, de imediato, ou iniciativas, após a reunião, deve ser o caminho para superar os pretensos impedimentos.
Somente no caso de situações incontornáveis, em que todos não possam estar presentes, é que se justifica a não realização do Culto do Evangelho no Lar.
Evite-se ligar rádio ou televisão no dia do Culto, próximo e depois da hora de sua realização, bem como a leitura de jornais ou obras sem caráter edificante, para que se mantenha um ambiente vibratório de paz e tranqüilidade dentro do Lar, bem como saídas à rua, senão para inevitáveis e inadiáveis compromissos.

Presença de Criança no Culto

As crianças devem, também, participar do Culto do Evangelho no Lar.
Nesses casos, os adultos descerão os comentários ao nível de entendimento delas.
Recomenda-se a leitura, como subsídio, dos capítulos 35 e 36 da obra “Os Mensageiros”, do Espírito André Luiz, e “Evangelho em Casa”, do Espírito Meimei, psicografadas pelo médium Francisco Cândido Xavier e editadas pela Federação Espírita Brasileira.

“Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más.”

ALLAN KARDEC
EVANGELHO — Cap. 17 item 4

Jesus Contigo

Dedica uma das sete noites da semana ao “Culto Evangélico no Lar”, afim de que Jesus possa pernoitar em tua casa.
Prepara a mesa, coloca água pura, abre o Evangelho, distende a mensagem da fé, enlaça a família e ora. Jesus virá em visita.
Quando o Lar se converte em santuário, o crime se recolhe ao museu. Quando a família ora, Jesus se demora em casa. Quando os corações se unem nos liames da Fé, o equilíbrio oferta bênçãos de consolo e a saúde derrama vinho de paz para todos.
Jesus no Lar é vida para o Lar

Não aguardes que o mundo te leve a certeza do bem invariável. Distende, da tua casa cristã, a luz do Evangelho para o mundo atormentado.
Quando uma família ora em casa, reunida nas blandícias do Evangelho, toda a rua recebe o benefício da comunhão com o Alto.
Se alguém num edifício de apartamentos, alça aos Céus a prece da comunhão em família, todo o edifício se beneficia, qual lâmpada ignorada, acesa na ventania.
Não te afastes da linha direcional do Evangelho entre os teus familiares. Continua orando fiel, estudando com os teus filhos e com aqueles a quem amas, as diretrizes do Mestre e, quando possível, debate os problemas que te afligem à luz clara da mensagem da Boa Nova e examina as dificuldades que te perturbam ante a inspiração consoladora do Cristo. Não demandes a rua, nessa noite, senão para os inevitáveis deveres que não possas adiar. Demora-te no Lar para que o Divino Hospede aí também se possa demorar.
E quando as luzes se apagarem à hora do repouso, ora mais uma vez, comungando com Ele, como Ele procura fazer a fim de que, ligado a ti, possas, em casa, uma vez por semana em sete noites, ter Jesus contigo.

JOANNA DE ÂNGELIS
Mensagem extraída do livro
“Messe de Amor”, psicografada por Divaldo Pereira Franco
Jesus no Lar

O Culto do Evangelho no Lar aperfeiçoa o homem.
O homem aperfeiçoado ilumina a família.
A família iluminada melhora a comunidade.
A comunidade melhorada eleva a nação.
O homem evangelizado adquire compreensão e amor.
A família iluminada conquista entendimento e harmonia.
A comunidade melhorada produz trabalho e fraternidade.
A nação elevada orienta-se no direito, na justiça e no bem.
Espiritismo sem Evangelho é fenômeno ou raciocínio.
O fenômeno deslumbra, o raciocínio indaga.
Descobrir novos campos de luta e pensar em torno deles não expressa tudo.
Imprescindível conhecer o próprio destino.
Não basta, pois, a certeza de que a vida continua infinita, além da morte.
E necessário clarear o caminho.
Do Evangelho no Lar, depende o aprimoramento do homem.
Do homem edificado em Jesus Cristo depende a melhoria e a redenção do mundo.

EMMANUEL
Mensagem extraída do livro “Nosso Livro”,
psicografada por Francisco Cândido Xavier.
Culto Individual do Evangelho

Nem sempre encontrarás a colaboração precisa ao culto do Evangelho no templo familiar.
Por vezes, será necessário esperar o amadurecimento dos companheiros, que se mostram semelhantes à folhagem viçosa nas robustas frondes da vida, incapazes de perceber a glória da frutificação no futuro.
Ainda assim, procura a intimidade do Mestre e, embora sozinho, sintoniza-te com ELE, através da leitura divina.
Realmente, por agora, és parte integrante do grupo consangüíneo, mas, no fundo, és o irmão da Humanidade inteira, com obrigações de seguir para a frente.
Todos somos peregrinos da eternidade, em trânsito para a Vida Superior.
Cada situação no círculo das formas, em que experimentamos e somos experimentados, é simples posição provisória.
Lembra-te de que o dia será a inevitável arena do testemunho e, ao longo das horas, encontrarás mil alvitres diferentes.
É a cólera pretendendo insinuar-se através do teu campo emotivo.
É a dor que tentará subtrair-te o ânimo.
É a ventania das provas, buscando apagar-te a fé vacilante e humilde.
É o verbo desvairado que te visitará nas bocas alheias, concitando-te a esquecer as melhores conquistas espirituais.
É a revolta que projetará fel sobre a tua esperança.
É a insubmissão do próprio “eu” que te criará dificuldades inúmeras
É a vaidade que te repetirá velhas fantasias, acerca de tua Superioridade inexistente.
É o orgulho que te apartará da fraternidade legítima.
É a preguiça que te fará acreditar no poder da enfermidade sobre a saúde e do desalento improdutivo sobre a alegria edificante.
É a maldade que te inclinará a palavra ao julgamento leviano ou apressado, no intuito de arrojar-te às trevas.
Recorda semelhantes inimigos que nos desafiam constantemente na luta sem quartel da evolução e do aperfeiçoamento, e, no Culto individual da Boa-Nova, grava em ti mesmo as observações do Mestre Divino, anotando-lhe os conselhos e avisos e tomando as armas da compreensão e do bem para lutar dignamente, cada dia, na abençoada conquista do futuro glorificado e sem fim.

EMMANUEL
Mensagem extraída do livro “Instrumentos do Tempo” psicografada por Francisco Cândido Xavier

***

“Antes de procurarmos o Reino de Deus no imensurável dos Céus, utilizemos nossa capacidade para construí-lo dentro de nós mesmos, através do Céu que pudermos oferecer à alma do próximo.

EMMANUEL


***

“Nem todos estamos habilitados para mandar, mas todos podemos servir.”
Albino Teixeira
A Igreja em Casa

Do culto cristão do lar
Nasce a fonte cristalina
De bênçãos da Paz Divina,
De dons da Divina Luz!…
Nele, aprendemos a amar
A dor, a luta, a alegria
E a iluminar cada dia
Na inspiração de Jesus.

Cultiva em teu doce abrigo
A Sublime Sementeira
Que te guarda a vida inteira
No amor, na consolação…
Sentirás, então, contigo,
Sobre a crença que te abrasa
O Evangelho vivo em casa
E o Mestre no coração.

JOÃO DE DEUS
Mensagem extraída do Livro “Nosso Livro” psicografada por Francisco Cândido Xavier.

“Entre as paredes do templo familiar, preparamo-nos para a vida com todos.”
Scheilla
Mensagem extraída do livro ”Luz no Lar”, psicografada por Francisco Cândido Xavier
Evangelho e Tempo

O Culto do Evangelho, em qualquer parte, é fonte de abençoada riqueza espiritual, preservando-nos os alicerces do equilíbrio psicossomático.
Estamos situados, diante uns dos outros, na mesma gleba de responsabilidades intransferíveis, mobilizando, em nosso próprio benefício, o câmbio de valores morais que mios ampliará os créditos imperecíveis no sublime erário da vida Maior.
Muitas vezes, procuramos os livros que nos entremostrem as emancipações da bolsa ou nos posicionem nos altiplanos do bem-estar social.
De outras, demandamos o convívio com as lições e cursos que nos dignifiquem entre destaques e títulos, traduzidos nos diplomas que nos honorificam os potenciais da inteligência.
Quase sempre nos interessam as páginas instrutivas que apontem vantagens a curto prazo.
O cérebro pode arrojar-se em conquistas, vencendo os impositivos das horas, no acúmulo de ciência e sabedoria.
Entretanto, o coração reclama tempo e esforço para disciplinar-se no aprendizado do amor:
As letras podem harmonizar-se com facilidade nos escaninhos da inteligência. Mas as virtudes não se acomodam sem luta e perseverança no vaso do coração.
Eis porque o Culto do Evangelho em nossas vidas, seja na experiência individual, no aconchego dos lares ou na ambiência dos templos, deve representar um curso de longo alcance, onde repetir lições significa dar ênfase ao aprendizado eficaz.
Os testes do dia-a-dia representam verificações preciosas de nossos espíritos em marcha, na auto-avaliação de que não nos exime o Mestre na escola da Vida.
Ouvir sem escutar ou aprender sem demonstrar, são experiências que nunca somam virtudes ao coração.
O Culto do Evangelho há de traduzir paz e consolo na primeira hora, esperança e incentivo logo depois, para, em seguida, sugerir à nossa rebeldia em subseqüentes revisões dos temas, o aperfeiçoamento de nossos espíritos.
Não há evangelização do indivíduo sem a necessária cota de tempo e esforço na prática das lições sublimes.
Breve confronto de nossa realidade espiritual com o Evangelho que aprendemos a cultuar nos leva a reconhecer que ainda não trazemos Jesus no coração, retratando-o em nossas atitudes.
Nas escolas do mundo, somos favorecidos com o apoio da instrução que nos ensina a admirar a vida exterior. Nos templos da fé, somos inspirados à reformulações da consciência ativa, nas reflexões do amor que nos induzem à educação eficaz.
A sabedoria com o mundo faz conta do tempo e reclama vultosas despesas com o ensino sistemático.
Mas o aprendizado com o Evangelho, precioso código para a vida Eterna, não sobrecarrega a bolsa nem contabiliza as horas. Pede unicamente a disciplina do coração a repetir os ensinamentos de Jesus.

SCHEILLA
Mensagem extraída do livro “Jornada de Amor”,
psicografada por Júlio Cézar Grandi Ribeiro e Maria de Lourdes Cordeiro Silva.
Culto Cristão no Lar

O Culto do Evangelho no Lar não é uma inovação. E uma necessidade em toda parte onde o Cristianismo lance raízes de aperfeiçoamento e sublimação.
A Boa-Nova seguiu da Manjedoura para as praças públicas e avançou da casa humilde de Simão Pedro para a glorificação no Pentecostes.
A palavra do Senhor soou, primeiramente, sob o teto simples de Nazaré e, certo, se fará ouvir, de novo, por nosso intermédio, antes de tudo, no círculo dos nossos familiares e afeiçoados, com os quais devemos atender às obrigações que nos competem no tempo.
Quando o ensinamento do Mestre vibra entre as quatros paredes de um templo doméstico, os pequeninos sacrifícios tecem a felicidade comum.
A observação impensada é ouvida sem revolta.
A calúnia é isolada no algodão do silêncio.
A enfermidade é recebida com calma.
O erro alheio encontra compaixão.
A maldade não encontra brechas para insinuar-se.
E aí, dentro desse paraíso que alguns já estão edificando, em benefício deles e dos outros, o estímulo é um cântico de solidariedade incessante, a bondade é urna fonte inexaurível de paz e entendimento, a gentileza é inspiração de todas as horas, o sorriso é a senha de cada um e a palavra permanece revestida de luz, vinculada ao amor que o Amigo Celeste nos legou.
Somente depois da experiência evangélica do lar, o coração está realmente habilitado para distribuir o pão divino da Boa-Nova, junto da multidão, embora devamos o esclarecimento amigo e o conselho santificante aos companheiros da romagem humana em todas as circunstâncias.
Não olvidemos os impositivos da aplicação com o Cristo, no santuário familiar, onde nos cabe o exemplo de paciência, compreensão, fraternidade, serviço, fé e bom ânimo, sob o reinado legítimo do amor; porque estudando a Palavra do Céu em quatro Evangelhos que constituem o testamento da luz, somos, cada um de nós, o quinto Evangelho inacabado, mas vivo e atuante, que estamos escrevendo com os próprios testemunhos, a fim de que a nossa vida seja uma revelação de Jesus, aberta ao olhar e à apreciação de todos, sem necessidade de utilizarmos muitas palavras na advertência ou na pregação.

EMMANUEL
Página extraída do livro “Instrumentos do Tempo”, psicografia pelo médium Francisco Cândido Xavier.

***


— “Reviver o Cristo nas relações diárias da casa, ressuscitar Jesus pela veiculação do Evangelho a quantos se abrigam nas dependências do lar, é de transcendental importância num século de tantas mudanças sociais.”

GUILLON RIBEIRO
Psicografia do Médium Júlio Cezar Grandi Ribeiro — extraída da revista “Reformador” de novembro de 1977

***

BIBLIOGRAFIA

— “O CULTO DO EVANGELHO NO LAR” — Alfredo Roberto Neto.

— “REFORMADOR”— novembro de 1977. Editora FEB.

— “NO LIMIAR DO INFINITO” — pelo Espírito Joanna de Ângelis; psicografado pelo médium Divaldo Pereira Franco. Editora Alvorada.

— “LUZ NO LAR” — Espíritos diversos, psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier — Editora FEB.

— “MESSE DE AMOR”— pelo Espírito Joanna de Ângelis; psicografado pelo médium Divaldo Pereira Franco. Editora Alvorada.

— “NOSSO LIVRO” — Espíritos diversos; psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier — Editora LAKE.

— “JORNADA DE AMOR”— Espíritos diversos; psicografado pelos médiuns Júlio Cezar Grandi Ribeiro e Maria de Lourdes Cordeiro Silva — Editora CEC — Vila Velha (ES).

— “INSTRUMENTOS DO TEMPO”— pelo Espírito Emmanuel; psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier — Editora GEEM.

— “OS MENSAGEIROS” — pelo Espírito André Luiz ; psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier — Editora FEB.

— “NO LIMIAR DO INFINITO” — pelo Espírito Joanna de Ângelis; psicografado pelo médium Divaldo Pereira Franco — Editora Alvorada.

***
“O Culto público da fé religiosa é o mostruário brilhante do conhecimento e da educação, mas o culto em casa é a laboriosa oficina de aperfeiçoamento do caráter, na qual perdemos as antigas e contundentes arestas, melhorando-se em espírito, uns à frente dos outros.”

EMMANUEL

***

In English: http://www.allankardec.org.nz/index.php?Itemid=63&option=com_content

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s