Não se lamente… (Gaivota de Luz)


Não se lamente…
O que passou, passou.
O importante é a lição que fica.
O que vale é o Amor!

Porque, dentro do coração, o tempo não existe.
E o que se vê é uma Luz… E Ela é imperecível.
Porque é a essência espiritual, que não nasce nem morre…
Só entra e sai dos corpos perecíveis.

Sim, a consciência espiritual é imortal.
Que arma do mundo transitório poderia ferir o espírito?
Não, o fogo não pode queimá-lo, e nem a água pode molhá-lo.
O corpo pode cair e se desfazer no seio da terra…
Mas a entidade espiritual é pura Luz e é eterna.
Por isso, não se lamente…

Nenhuma tumba pode conter o Ser real, que é do Céu.
Se o corpo desce de volta à terra, o espírito ascende às estrelas.
O seu lugar não é embaixo de sete palmos de terra.
Nada disso. O seu lugar é lá em cima, no zimbório celeste.

Não se lamente…
Porque a vida segue… Como sempre.
Encontros e desencontros acontecem.
Chegadas e partidas também.
E tudo isso faz parte do jogo de viver.
O espírito jamais perece, só entra e sai dos corpos…
E segue em frente… Sempre aprendendo.

Ah, chega de choro e de dor!
Limpe o seu coração do luto e resgate sua Luz.
O que passou, passou.
Não há dia de finados para a consciência imperecível.
Todo dia é chance de recomeço, para aprender e crescer.

Na Terra, ou no Astral, não se lamente…
Porque a Vida é infinita, e viver é mais do que imaginamos.
Os cinco sentidos do corpo não conseguem captar outros planos.
A medida do universo não é a medida dos sentidos do homem.
E viver não se resume a apenas comer, beber, dormir e copular.
Não, viver é muito mais. Também é pensar, amar, rir e crescer.
E, quando o coração do homem é tocado pelo Alto, torna-se um sol.
Então, ele sente a presença de um Grande Amor em tudo.

Não se lamente…
Porque o que se sente na Luz do coração é algo grandioso…
É o mesmo Amor que viaja no coração de cada Ser.
É a mesma Luz que está em todos os planos de manifestação.
E, quem sente esse Amor, sabe que há vida em tudo.
Não, não há dia de finados para quem sente a vida pulsando…
Mas certamente haverá um fim para a dor de uma perda.

Ah, não se lamente…
Porque as estrelas brilham lá em cima…
E elas nada têm a ver com luto e túmulos cinzentos.
Como falar de visitar os mortos, se nada morre?
Que sentimento estranho é esse, que faz o homem olhar para baixo?
Que o faz olhar para a tumba, e não para o Céu?
Que só fala de sete palmos abaixo, dentro da terra escura?
E que não percebe que há outros planos de manifestação, algures?…
Sim, planos que não são percebidos com os olhos físicos, mas só na Luz do coração.

Não se lamente…
Olhe para o Céu, pois tem festa lá em cima também.
E é festa cheia de vida, onde os espíritos dançam na Luz.
Eles não morreram. São imperecíveis, naturalmente.
Já existiam antes do corpo ser formado, e continuam existindo além…

Ah, eles não nascem nem morrem.
Só entram e saem… E seguem sempre vivos.
Então, não se lamente… Não se lamente… Não se lamente…

P.S.:
Ninguém morre.
O espírito é gaivota de luz.
Voa além da linha do horizonte…
Segue as correntes energéticas sutis.
Sim, sempre vivo.
Como deve ser.
Na Luz.

(Dedicado ao nosso amigo Marcos Gonçalves, da Sociedade Espírita Ramatís, que recentemente foi morar “do lado de lá”, e agora anda vestido de luz por entre as estrelas, conversando e rindo com seus pares espirituais.)

Paz e Luz.

– Wagner Borges – pequena folha espiritualista viajando ao sabor do Vento do Espírito Supremo…
Rio de Janeiro, 25 de outubro de 2009.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s