O Bem perseguido e o Mal protegido (Alamar Régis Carvalho)

A inversão de valores praticada pela humanidade é algo que chega a impressionar, pelo nível elevado de burrice que ela é.

Imaginemos se em algum planeta, de nível superior, um cidadão, que está acostumado a vir aqui à Terra, (na condição de “extra terrestre”, que tem aos montes aqui, mas a cabeça da maioria das pessoas é incapaz de conceber), em um bate-papo com um seu filhinho resolve contar a ele como são as coisas aqui em nosso planeta. Certamente o garoto vai dizer, a ele, mais ou menos assim:

– “Pai. Fale sério, eu quero saber mesmo sobre a Terra, porque pretendo ir lá um dia qualquer. Pare de brincadeira, o que você está dizendo não faz o menor sentido… Vamos, comece a falar sério agora.”

Só que o pai não estava de brincadeira não, ele estava falando sério, relatando a mais pura verdade acerca do comportamento das criaturas humanas.

O bem é sempre perseguido na Terra e todas as dificuldades são impostas à sua prática, enquanto o mal é protegido de todas as formas e todos, principalmente as autoridades, fazem o possível para mantê-lo, conservando-o, embora teoricamente digam o contrário.

Vejamos os exemplos disto, primeiro em relação ao bem:

Desde a nossa infância e adolescência, nos colégios, os bons alunos sempre são perseguidos e até agredidos. Os que são estudiosos e, por conta disto, tiram notas boas, são chamados de CDF; os que são educados e tratam os professores com carinho e respeito, são chamados de puxa-sacos; os que se apresentam bem, com roupas limpas e passadas, cabelos bem cuidados e penteados são chamados de “mauricinhos” ou “patricinhas”. Invariavelmente alguns colegas procuram motivos para brigarem com esses, provocam, instigam e ofendem.

Ao completar os seus 18 anos, o rapaz, quando chega à experiência militar, além de sofrer as ridículas torturas que inexplicavelmente o meio militar ainda impõe ao soldado e aluno de escola, em pleno terceiro milênio, sob a estúpida argumentação de que é preparação para a guerra, ele sofre uma outra tortura e muita pressão, quando não fuma e não usa bebidas alcoólicas. Até a sua masculinidade é colocada em questão, por ter optado por não ser viciado pelo fumo e pelo álcool.

A pessoa, homem ou mulher, quando começa a namorar, mas não sofre da doença do ciúme, porque a sua dignidade, a sua honestidade e o seu caráter não admitem fazer de um ser humano propriedade particular sua, objeto seu e coisa sua, automaticamente é qualificada como pessoa fria, que não tem sentimento e que não ama. No mundo desequilibrado, as pessoas acham que para alguém amar alguém tem que desconfiar, agredir, patrulhar, submetê-la a ser coisa sua e praticar todas as atitudes ridículas promovidas pela paixão e pelo ciúme.

O médico que procura exercer a sua profissão, priorizando o compromisso com a missão de curar e tratar dos doentes, dentro da ética que a medicina recomenda, geralmente não é bem visto por aqueles que priorizam o comércio com a saúde e as jogadas com laboratórios e planos de saúde.

O magistrado que se dispõe a fazer uma JUSTIÇA decente e imparcial, e não se submete, jamais, a praticar a JU$TI$$A sem vergonha e descarada, que favorece bancos, grandes empresas e quem tem dinheiro, invariavelmente não é bem olhado dentro do fórum e até a corregedoria lhe cria problemas, quando essa deveria ser rígida exatamente contra os bandidos da magistratura.

As pessoas que estudam mais, que se empenham em trabalhar com honestidade, eficiência e dedicação, que por conseqüência produzem e ganham bem, podendo ter um bom padrão de vida, são punidas pelos governos que lhes subtraem, com os impostos e taxas, percentuais elevados, porque o sucesso de uns sempre incomodam a outros. É como se dissessem:

“Acho bom você não estudar, não fazer cursos, não ser honesto, não ser produtivo e não ser disposto em condições de ganhar bem, porque nós, governo, vamos lhe tirar o máximo que pudermos e até vamos legislar para criar mais impostos, a fim de lhe roubar, sem direito de defesa. Recomendamos que você não estude, não trabalhe, não seja produtivo, seja preguiçoso e de preferência viciado, porque aí não lhe cobraremos imposto nenhum, lhe daremos bolsa família, bolsa de tudo quanto é tipo e estamos bolando até um meio de lhe dar bolsa celular”.

Não existe comissão de direitos humanos para pessoas honestas, boas, dignas e íntegras.

O padre e a freira dignos e comprometidos fielmente com Jesus, invariavelmente são perseguidos pela própria igreja. Procurem ler a história e veja o que sofreu Dom Hélder Câmara, a Irmão Dulce e todos que viveram com dignidade e verdadeiro amor, como eles.

A igreja Evangélica, que é conduzida por uma filosofia de pastores íntegros, decentes, honrados, como o Pastor Luther King, da foto ao lado, que também priorizam JESUS, acima de tudo, mesmo se conduzindo à luz da própria Bíblia, geralmente não são as mais escolhidas pelo público que opta por ser evangélico, já que esse prefere mais aquelas denominações conduzidas por pastores mercenários, pilantras e sem vergonhas, envolvidos em safadezas, que ficam milionários à custa dos dízimos e das ofertas, porque o seu foco é servir a JE$U$ e não a JESUS.

Se um policial, numa blitz, pega um cidadão de bem, que é educado e que o cumprimenta, não tenham a menor dúvida de que ele vai fazer de tudo para encontrar alguma anormalidade e, caso encontre, saiba que ele quererá ostentar toda a sua “autoridade” em cima daquele cidadão, com todo rigor. Se for uma falha, em relação ao veículo, ele apreenderá o carro e de nada adiantará você tratá-lo bem ou argumentar que não cometeu qualquer falha a ponto de ser apreendido. Se você se atrever a discordar de alguma coisa que ele diz, ou faz, invariavelmente será enquadrado por “desacato à autoridade”.

Esta é, também, impressionante: Os maiores índices de multas e punições mais pesadas, aplicadas pelos fiscais da previdência, do ministério do trabalho, das receitas federal e estadual e da prefeitura, são exatamente contra os empresários e comerciantes mais decentes, mais honestos, sérios e dignos.

Os exemplos são inúmeros e eu escreveria um livro, só relatando-os. Mas vamos ficar por aqui.

Veja, agora, o outro lado, como é que o mal é tratado.

Comecei pelo período do colégio e vou começar novamente pelo colégio.

O aluno mal educado, brigão, grosseiro, relaxado no vestir e que menos se dedica aos estudos, geralmente é o mais respeitado por toda a turma. Se ele bebe e fuma, todos os colegas acham bonito e vêem aquilo como uma verdadeira curtição.

Se o aluno resolver agredir à sua professora, até mesmo tirar sangue dela, não precisará se preocupar com nada, porque nada, absolutamente nada, vai acontecer com ele, que será considerado de menor e pode fazer o que quiser. Se o assunto for levado ao conhecimento da imprensa, não tenha a menor dúvida de que o colégio será apontado como o culpado e a professora, por incrível que pareça, a verdadeira vítima ainda será acusada, por alguns, como responsável pelo acontecido.

Esta é a realidade dos dias atuais. Se um aluno agride, tira sangue e até mata uma professora, nada acontece com ele, mas se a professora, ao menos, disser alguma palavra mais pesada contra ele, certamente ela poderá ser afastada, processada e punida rigorosamente. Vejam bem: basta dizer uma palavra mais pesada, não estou falando nem em dar umas palmadas ou agredir o aluno.

Esta foto, aí ao lado, é de um professor que foi agredido por alunos. Não pode fazer nada e nenhum dos agressores foi punido.

Sei do caso de uma que é vítima de um marginalzinho desses, que de vez em quando passa a mão na sua bunda e até na sua vagina e fica morrendo de rir, debochando, junto com os outros colegas, sem que ela possa fazer nada, porque quando ela tentou reclamar, junto à direção do estabelecimento, ouviu: “A culpa é sua, que dá liberdade aos alunos e não sabe educar”.

Embora não queiramos pregar qualquer tipo de babárie, porque o bom senso não nos permite ser a favor de nenhum tipo de violência, vale lembrar que no tempo em que os professores baixavam a porrada em alunos que praticassem essas agressões, e ainda tinham o apoio dos pais que lhes davam outra surra, quando chegavam em casa, com certeza esse tipo de coisa não acontecia.

Os sindicatos dos professores geralmente são fracos, omissos e não se empenham energicamente, em relação a isto, porque os imbecis que estão à sua frente, invariavelmente são aproveitadores, como a maioria dos sindicalistas, que não vislumbram outra coisa senão o objetivo de entrar para a política e também se beneficiarem com ela. Hoje é um bom negócio montar um sindicato, no Brasil, porque dá uma boa grana, que entra muito fácil e sem esforço.

No meio militar, o soldado ou aluno que fuma e bebe é mais queridinho pelos que o comandam, basta ele levar, de vez em quando, uma garrafa de cachaça para o seu sargenteante, que estará, sempre, tudo bem com ele. Uma garrafa de whisky, de presente, é uma das melhores opções para conquistar a amizade de quem está por cima.

Conforme todos podemos constatar, o Ministério da Saúde faz todas essas campanhas contra o alcoolismo e contra o fumo, mas o próprio governo destina altas verbas do BNDES para financiar fábricas de cachaça, em qualquer lugar do Brasil. Percebeu que demagogia e hipocrisia mais sem vergonha?

Não existe o menor interesse, no ser humano, em apoiar o bem, incentivar o bem e estimular quem faz coisas boas. Há segmentos religiosos que recomendam que as pessoas não devem elogiar ninguém, não devem aplaudir e nem fazer qualquer tipo de manifestação, quando alguém realiza alguma coisa boa. A argumentação ridícula e estúpida é que elogiando e aplaudindo alguém estão estimulando a sua vaidade. No entanto, essas mesmas cabeças não fazem qualquer restrição às críticas, às pressões, às punições e todo ato punitivo que for praticado contra quem comete algum equívoco, por menor que seja.

É uma inversão de valores absurda.

Já falei em vários artigos e o Brasil inteiro sabe da existência de uma tal comissão de direitos humanos, com atuação em todos os estados, que só existe para defender bandidos. Quem quiser que observe bem, como essa comissão se apresenta:

Se um bandido qualquer mantém uma vítima com refém, durante algum tempo, ela não aparece e não faz o menor esforço em favor da vítima, que também é um ser humano. De repente o bandido assassina a vítima, a família entra em desespero, num sofrimento enorme. Ela não aparece para dar qualquer tipo de apoio a essa família. Se for um pai de família, por exemplo, o assassinado, ficando a esposa em carência absoluta e os filhos com fome e passando por necessidades, ela não aparece e não esboça qualquer esforço em campanhas de apoio em seu favor.

De repente a polícia prende o assassino e alguns populares, revoltados, começam a se manifestarem indignados.

Quem aparece?

Ela, a comissão dos direitos humanos, acompanhada de advogados para prevenirem a favor da integridade física do monstro. Ai do policial, nos dias de hoje, que levantar a mão para, pelo menos, dar um tapa num bandido deste. Eu não falo nem em dar um murro no meio da cara, falo em um tapa. Imediatamente a tal comissão age contra o policial, a imprensa fala contra ele e o seu comando, por pressão da imprensa, o pune e afasta da corporação.

Tem uma advogada, em São Paulo, fazendo o maior esforço para soltar o assassino da Eloá. Não foi contratada por ninguém, não tem honorário nenhum, mas a disposição de proteger bandidos é tão grande que não precisa nem honorário.

Hoje, em nosso país, é um grande negócio ser bandido.

Você já ouviu falar no salário reclusão? É um salário que existe no Brasil, só para bandidos presos.

Uai, mas existe esse salário governamental também para a família da pessoa que esse bandido assassinou e que está passando necessidades?

Não. O auxílio reclusão é só para o bandido, a família da vítima que se lasque, é este o pensamento do governo.

Se você não tiver a fim de trabalhar, mas quer ter vantagens, basta matar alguém e torcer para pegar uma boa condenação. Não vai pagar imposto nenhum, vai comer de graça, por conta do governo, não fará porcaria nenhuma, pode reivindicar mulher para fazer sexo na prisão, se quiser ficar com raiva e queimar tudo na penitenciária, pode, sem problema nenhum, se quiser botar fogo no colchão, pode botar, que o governo dá outro, novinho, e ainda vai ter o salário reclusão. Ainda tem a comissão dos direitos humanos para lhe defender. Existe coisa melhor do que esta para quem é preguiçoso e tem espírito vagabundo?

Por acaso, meu caro leitor, eu estou exagerando em alguma coisa?

Você sabe qual o profissional que mais é pressionado pelo imposto de renda, que prioritariamente é o mais escolhido pela tal malha fina, para que o governo possa tirar o máximo que puder do seu dinheiro?

O médico. Sim, exatamente ele, que é o profissional incumbido por cuidar da nossa saúde, para que a vida não seja afetada pelas doenças.

Se o cinema lançar no mercado, hoje, dois filmes, ambos com os mais requisitados atores americanos, tipo Tom Cruise, Demi Moore, Tom Hanks, Brad Pitt, Angelina Jolie, Catherine Zeta Jones, etc… mas que seja um filme sobre a Paz, os bons exemplos e as coisas boas, e o outro extremamente violento, com muito assassinato, muito sangue e morte, muita ação policial e terror. Qual dos dois vai ter melhor bilheteria?

Nem tenha dúvidas, porque a resposta já está dada.

Vejamos o contingente de policiais militares de São Paulo e perguntemos:

Onde está a maioria dos homens, no dia-a-dia?

No encalço dos bandidos perigosos? Nos lugares onde existe tráfico de drogas, venda e fumo de maconha aberto que eles sabem muito bem onde é? Nos centros comerciais das cidades, combatendo o explícito comércio dos produtos falsificados e piratas, que também eles sabem perfeitamente onde estão?

Não, nada disto. A maioria dos policiais está espalhada pela cidade, praticando a vergonhosa extorsão pela indústria das multas, vitimando o cidadão comum que não é bandido, nunca matou e nunca roubou ninguém. Qualquer anormalidade encontrada é motivo para eles apreenderem o carro, cobrarem mais de 300 reais de guincho e várias outras taxas.

O bem é perseguido e o mal é protegido, sempre.

Funcionário honesto e dedicado de uma empresa é mal visto pelos colegas que sempre preferem aquele que faz jogadas, desvios de produtos, movimentos contra o patrão e, de preferência que seja também viciado.

O adolescente não gosta de estabelecer amizades com adolescente equilibrado, dedicado aos pais e que não tenha vícios, porque na concepção dele, trata-se de um “careta”. Ele valoriza mais os que têm vícios e que, de preferência, seja agressivo para com os seus pais.

Você já viu algo mais ridículo e estúpido que o trote, aquela coisa indecente que se pratica nas pessoas que passam no vestibular. É um dos mais explícitos atos de selvageria praticada, absolutamente incoerente para pessoas que entram em cursos “superiores”!!!! Que diabo de superioridade é essa???? Curso superior, em quê? Não seria mais coerente se os vitoriosos fossem tratados com carinho e com festas?

Os religiosos que mais dizem ter aceito Jesus não suportam outros que também tem Jesus como modelo, mas que divergem em um ou outro ponto de vista de fé.

Como exemplo, vou colocar a posição do evangélico e do espírita: Ambos têm Jesus como o maior modelo de vida a ser seguido e existe mais de 90% de pontos convergentes entre ambos, restando, portanto, menos de 10% de pontos divergentes.

Por causa desses menos de 10% divergentes, maioria dos evangélicos vêem os espíritas como se fossem inimigos, combatem e falam o que querem. Se pudessem, os queimaria na fogueira.

O engraçado de tudo é que eles, geralmente, não fazem qualquer esforço contra aqueles que não tem nem 5% de Jesus, que estão totalmente distantes dele, como são os terroristas, os ladrões, os corruptos e os verdadeiros bandidos.

Você já imaginou se se unissem as forças católicas, protestantes, espíritas e todas aquelas que têm Jesus, como maior modelo, parassem com essa palhaçada de viverem a criticar uns aos outros e, em vez disto, tomassem juízo e saíssem pelo mundo difundindo as maravilhosas propostas do Evangelho?

Você sabia que 99% dos brasileiros não sabe que existe o verbo pazear? Sabia que somente os dicionários mais completos, alguns apenas, trazem este verbo? Eu tenho vários dicionários em casa e em metade deles não consta o verbo, inclusive um da enciclopédia BARSA, que não consta.

Pazear significa fazer a paz, estabelecer paz e harmonia, promover paz, mas ninguém tem interesse em divulgar, professor nenhum ensina os alunos a conjugarem esse verbo em salas de aulas.

No entanto o verbo GUERREAR, todo mundo conhece.

Para finalizar, quero sugerir às pessoas para que raciocinem em cima do tema deste e-mail. Esta burrice não pode permanecer na face da Terra e todos nós temos que começar a fazer a nossa parte para mudar isto. Paremos de achar que somente os outros fazem isto porque, de repente, numa auto-análise, vamos perceber que muitos de nós endossamos essas coisas e não fazemos o menor esforço em mudar.

Promovamos a PAZ, prestigiemos as pessoas boas, aprendamos a elogiar e a aplaudir aqueles que de fato fazem coisas de destaque e pelo bem da humanidade e deixemos de ser omissos.

O compromisso com o apoio ao bem é dever de todos nós.

Para a sua apreciação.

Alamar Régis Carvalho
Analista de Sistemas, Escritor e ator.
Criador da idéia do Partido Vergonha na Cara

www.partidovergonhanacara.com
alamar@redevisao.net
www.alamar.biz
www.redevisao.net
www.site707.com
www.amigosdaembratel.com.br/7

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s